Em 8 de fevereiro de 1982, ocorreu o famoso incidente do vôo 169 da Vasp, um vôo que partiu da cidade de Fortaleza, Ceará, com bom tempo e céu claro, em um Boeing 727, com o prefixo PP-SNG, pilotado pelo comandante Gerson Maciel de Britto.

 


comandante Gerson Maciel de Britto

     A aeronave decolou por volta de uma hora e cinqüenta da madrugada e quando chegou perto da cidade de Petrolina, em Pernambuco, Britto observou um ponto luminoso à esquerda da aeronave.

     O comandante entrou em contato com a torre, tentando saber que avião seria aquele, e descobriu que não havia qualquer aeronave nas proximidades.

     Britto sinalizou com os faróis do 727 e diminuiu a iluminação da cabine para poder observar melhor o objeto, ainda achando que se tratava de um avião não identificado.

     O objeto continuava voando próximo ao Boeing, realizando evoluções que eram notadas pelo comandante e sua tripulação.

 

     A noite estava clara e as condições eram perfeitas para o avistamento, fato esse que permitiu que o piloto identificasse a Lua e o planeta Vênus, e tivesse a certeza de que estava testemunhando um objeto voador não identificado.

     O comandante pode ver que o objeto mudava de cor, do vermelho para um laranja, sendo que ao centro o objeto era branco e azulado.

     Outro detalhe que chamou a atenção de Britto, era a forma como o estranho objeto se deslocava no ar, ele ficava passando ao lado e por baixo do Boeing como se estivesse brincando com o avião.

     Britto ainda continuava tentando confirmar com Brasilia que objeto seria aquele, mas a resposta era sempre a de que não estava sendo registrado nada pelos radares de terra.

     Outras duas aeronaves, uma da Aerolineas Argentinas e outra da Transbrasil, tambem confirmaram terem tido um contato visual com o estranho objeto.

     O comandante do Boeing continuo sinalizando seguidamente para o objeto em busca de alguma resposta.

     Após passarem por Belo Horizonte, Britto finalmente teve uma resposta positiva de que o radar de Brasilia anotava a presença do OVNI proximo ao Boeing.

     Neste momento, após a identificação de Brasilia, Britto resolveu chamar a atenção de toda a tripulação e dos passageiros do vôo para a presença do objeto ao lado da aeronave. Os passageiros tambem testemunharam o objeto que só se afastou do Boeing quando esse já se preparava para pousar no Rio de Janeiro.

     Uma passageira do vôo da Vasp, Silézia Del Rosso, conta que o objeto brilhava como uma lâmpada de mercúrio, como essas de postes de iluminação. Os passageiros disputaram por varias horas as janelas à esquerda do avião para observarem melhor o Objeto Voador Não Identificado. Todos os passageiros confirmaram o encontro com o OVNI com exceção de algumas personalidades religiosas que estavam a bordo do vôo, como dom Aloísio Lorscheider, cardeal arcebispo de Fortaleza, que quando questionado por um passageiro sobre o porque de não ir até a janela ver o objeto, respondeu que ele não queria saber dessas coisas.

 

Retorna na página anterior